5 Dicas de Ecoeficiência

Imagem Post 2

Antes de apresentar as 5 dicas eu pergunto: Você sabe o que é Ecoeficiência?

A figura acima faz uma alusão ao termo inglês “thinking out of the box”, que significa “pensar fora da caixinha”. O termo tem muita relação com a ecoeficiência, pois para ser ecoeficiente, você precisa pensar além dos limites organizacionais.

Na ecoeficiência, “Thinking out of the box” significa conhecer impactos diretos e indiretos de produtos e serviços e agir para neutralizar estes impactos.

Promover a ecoeficiência é promover o bem-estar do ser humano. Preservar o meio ambiente não é bom somente para o meio ambiente, mas sim para a sociedade como um todo.

O termo definido pelo WBCSD – World Business Council for Sustainable Devepment (Conselho empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável) ressalta a relação da ecoeficiência com a qualidade de vida, conforme descrito a seguir:

Ecoeficiência:

“Entrega de bens e serviços que satisfaçam as necessidades humanas e tragam qualidade de vida, reduzindo progressivamente impactos ambientais dos bens e serviços, através de todo o ciclo de vida, em linha com a capacidade estimada da Terra em suportar” (WBCSD, 1992).

Ser ecoeficiente significa se beneficiar das melhores e mais modernas tecnologias que tragam qualidade de vida com menor impacto ambiental.

Ser ecoeficiente é utilizar água e energia de forma eficiente e gerar menos resíduos, sem que sua rotina de atividades seja prejudicada.

Dependemos sim de políticas públicas, educação e investimentos, mas devemos lembrar que a ação começa em casa, ou seja, ter uma atitude ecoeficiente pode representar muito como um exemplo e uma perspectiva de mudança.

Pensar fora da caixa, significa atuar no que é de sua responsabilidade e influenciar seus stakeholders (fornecedores, parceiros e públicos de interesse) a serem Ecoeficientes também.

Veja algumas dicas de Ecoeficiência da H2O Company que pode ser aplicada em casa ou no trabalho:

  1. Você pode chamar um Táxi Híbrido

Tecnologia de carros com um motor elétrico e outro a combustão. Quando o carro está em baixa velocidade é o motor elétrico quem atua, sem emitir qualquer poluente. Depois de uma certa velocidade o motor a combustão é acionado e carrega a bateria do motor elétrico.

Esta tecnologia permite que os carros façam uma média de 22 km com 1 litro de gasolina. No Brasil o veículo híbrido mais em conta é o Toyota Prius, que custa cerca de R$ 100 mil. Em São Paulo, veículos híbridos ou elétricos possuem 50% de desconto no IPVA e isenção de rodízio.

Apesar do alto custo, você não precisa comprar um carro destes para começar a ser ecoeficiente, mas pode priorizar carros híbridos quando for pegar um táxi, por exemplo. É uma forma simples de começar a ser mais ecoeficiente.

Na H2O Company priorizamos táxis híbridos nos deslocamentos da equipe. Desta forma, reduzimos nossas emissões indiretas de CO2.

 

  1. Carros e bicicletas elétricas

Diferentemente dos híbridos os carros elétricos precisam ser carregados em tomadas. Esta realidade é cada vez mais presente na Europa e nos EUA. A Holanda, por exemplo, pretende ter apenas carros elétricos fabricados no país nos próximos 10 anos.

A empresa americana Tesla, já iniciou as operações de uma gigafábrica nos EUA para fabricar apenas carros elétricos e baterias. Seu valor de mercado já ultrapassou a GM. É muito forte a tendência do uso de veículos elétricos no mundo todo.

No Brasil, os carros elétricos ainda estão em fase de teste, mas serão uma realidade dentro de 5 ou 10 anos.

Apesar de ainda não termos carros elétricos, as bicicletas elétricas já são um sucesso em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. É uma forma eficiente de ir ao trabalho, sem precisar ter o incômodo do suor, já que o motor silencioso que fica na roda da bicicleta ajuda nas subidas, evitando o esforço de uma bicicleta tradicional.

 

  1. Utilize Bike Courier

Você não precisa pedalar e fazer grandes esforços para incentivar o uso de bicicleta nas cidades. Mas você pode optar por fazer entregas de malotes e produtos de bicicleta, ao invés de contratar um motoboy. O custo é praticamente o mesmo, mas a melhora no trânsito, a redução do número de acidentes, a redução da poluição e do barulho são benefícios enormes que a sociedade recebe.

Os bikers couries não param de passar nas avenidas Paulista e Faria Lima, em São Paulo. Esta é uma forma criativa e limpa de incentivar a ecoeficiência, sem que nossa rotina seja alterada.

 

  1. Separe e lave os resíduos recicláveis

A melhor forma de incentivar a reciclagem é separando e principalmente limpando os resíduos recicláveis antes de serem descartados. Não precisa lavar com água e sabão, mas passar uma água para tirar o resto de alimento das embalagens. Você pode reaproveitar a água da pia, que já foi utilizada para lavar pratos e copos.

Em São Paulo, a coleta seletiva já é uma realidade em praticamente todos os bairros. Mas se o lixo estiver sujo, este será descartado quando chegar em uma cooperativa de catadores. Nas cooperativas os resíduos sujos são classificados como “contaminados” e são encaminhados para o aterro e não para a reciclagem.

Portanto, se você não limpar, não adianta separar. E ainda seu resíduo sujo pode contaminar outros que estavam limpos.

Outra forma de incentivar a reciclagem é optar por embalagens e produtos reciclados. Utilizar papel reciclado no escritório é uma excelente atitude de ecoeficiência. Você evita que papel vá para o aterro e valoriza a indústria da reciclagem.

Também, você evita que árvores sejam derrubadas para fazer o papel virgem e com isso você economiza muita água, já que 99% do consumo de água na fabricação do papel está na etapa de plantio e crescimento das árvores que produzem celulose.

 

  1. Aproveite água de chuva

Nas áreas urbanas o maior benefício do aproveitamento de água de chuva é o fato de evitar enchentes. Em chuvas fortes, a água que fica retida nas cisternas deixam de inundar córregos e rios. Se cada um tiver uma cisterna em casa, a soma delas acumulará muito mais água do que os piscinões que são obras milionárias para evitar enchentes.

A água de chuva pode ser utilizada para regar plantas, lavar o quintal, dar descarga e até lavar roupas. Algumas etapas simples de filtração e bombeamento precisam ser feitas. Portanto, ao construir ou reformar, contrate uma empresa especializada para executar este serviço. Quanto mais água de chuva você utilizar, mais economia financeira terá.

Além disso, você alivia os reservatórios de abastecimento público, que estão sempre em risco em períodos de escassez.

 


Claudio Bicudo Mendonça – Gestor Ambiental e Diretor Executivo da Consultoria H2O Company, focada na Gestão Corporativa Estratégica para a Sustentabilidade

Posted in Sem categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *